Minicurso: Biopolítica e modernidade em Foucault

17/07/2018 02:39

Foto: https://saberesrebeldes.wordpress.com

Por meio da noção de biopolítica, o filósofo francés Michel Foucault propõe um diagnóstico de época; não somente um diagnóstico político, mas também ético e, em certo sentido, epistemológico. Para Foucault, a biopolítica é a forma que assume as relações políticas na modernidade, que se ocupam e se preocupam com a vida dos homens; não a vida individual de cada um de nós, mas sobretudo com a vida da espécie, e de uma espécie que diz respeito a um grupo bem peculiar de indivíduos: a espécie burguesa. Mas, na atualidade, a centralidade da vida não é restrita ao cenário político e às práticas de governo. A vida, para Foucault, é também o objeto central de muitas ciências, naturais e humanas (como a Biologia e a Psicologia, mas também o Direito, a Criminalística, a Estatística etc), e é ainda em torno dela e daquilo que se relaciona com ela como o sexo e o desejo, que gira nossas preocupações éticas e nossos ideais de subjetividade. O curso pretende discutir a noção de biopolítica no interior do pensamento de Foucault a partir desses três eixos de análise, político, ético e epistemológico.

Ministrante: Profa. Carolina de Souza Noto

Horário: Terças e quintas, das 19h30 às 21h30.

Período: 21/08, 23/08, 28/08, 30/08, 4/09, 6/09, 11/09, 13/09, 18/09, 20/09

Local: a definir

Vagas: 20

Público: preferencialmente professores de Filosofia e Sociologia da Rede Pública (se houver vagas, o curso será aberto a outros interessados).

Ementa do minicurso

Click aqui para fazer sua Inscrição 

UFSC sedia Congresso Mundial de Antropologia em 2018

07/07/2018 13:02

“Mundo de Encontros: o passado, presente e futuro do conhecimento antropológico” é o tema do  18° Congresso Mundial da União Internacional de Antropologia e Ciências Etnológicas (IUAES), resultado de articulação global de pesquisadores da área.

Pela primeira vez na América do Sul, o 18° Congresso Mundial IUAES ocorrerá na Universidade Federal de Santa Catarina, entre os dias 16 e 20 de julho de 2018. 30 eixos de pesquisa estruturarão as apresentações e debates em nove modalidades de participação: painéis abertos e fechados, simpósios, workshops, grupos de trabalho, mostra de fotografias, mostra audiovisual, plenárias e conferências.

A edição brasileira do congresso traz uma inovação em relação às outras edições de congressos internacionais: além de Florianópolis, cidade sede do encontro, outras universidades do país organizarão pré-eventos e pós-eventos, fortalecendo as redes internacionais temáticas e dando oportunidade à estudantes e pesquisadores de todo o Brasil de conhecerem antropólogas e antropólogos de outros países do sul global.

Com sua primeira edição em 1934, e realizado a cada cinco anos, o 18º IUAES no Brasil se deve à acirrada vitória da candidatura brasileira, levada pela delegação da Associação Brasileira de Antropologia (ABA) em seu último congresso em Manchester, Reino Unido, em 2013.

Normas de participação, programação e demais informações estão disponíveis no site e no Facebook. As inscrições devem ser feitas no link.

Mais informações pelo e-mail 

Notícia vinculada no sitio da UFSC em 15/09/2017.

MINICURSO: “FILOSOFIA DA TECNOLOGIA” (20 Hs.)

02/05/2018 21:23

MINISTRANTE: PROF. ALBERTO CUPANI

“A.C., doutor em Filosofia, professor titular aposentado do Depto. de Filosofia da UFSC, autor do livro Filosofia da Tecnologia. Um convite (ed. da UFSC).

Datas: 24 de maio, 7, 14, 21 e 28 de junho de 2018.

Horário: 18h30 a 22h00.

Local: EFI/UFSC, sala 302.

Objetivo:

Fornecer uma introdução sistemática à Filosofia da Tecnologia, mostrando a sua relevância para a filosofia e para outras disciplinas e profissões.

Ementa, clique aqui.

Inscrição, acesse aqui.

SEMINÁRIO DE PESQUISA DO LASTRO: TRABALHO QUE SE (DES)FAZ

17/04/2018 17:51

O Lefis convida todxs para o Seminário de pesquisa Trabalho que se (des)faz, no qual será apresentado a produção acadêmica do Laboratório de Sociologia do Trabalho (LASTRO) dos últimos anos.  Segue a programação:

DATA: 23 e 24 de abril

LOCAL: Miniauditório do CFH/UFSC

PROGRAMAÇÃO:

23 de abril

Sessão 1 – Mediação: Jacques Mick

8h às 9h40h:
Henrique Cignachi: Ascensão e crise do lulismo: compromisso de classes e acumulação capitalista no Brasil contemporâneo (1989-2016)
Camila Philippi: O milagre do petróleo: Petrobras, Iirsa/Cosiplan e neodesenvolvimentismo
Luiz Gustavo Cunha: Trabalho, identificação, reconhecimento

10h às 12h:
Adir Valdemar Garcia, Jaime Hillesheim e Tânia Regina Krüger: Educação, pobreza e desigualdade social: uma análise de documentos de gestão federais, estaduais, municipais e Projetos Político-Pedagógicos
Giana Carla: A educação profissional no âmbito da CUT
Eliton Felipe: “Eu também fui torturado”, as memórias dos militantes comunistas de Joinville sobre o regime militar brasileiro
Juliana Grigoli: Política de Memória Histórica: a atuação dos movimentos políticos e das Comissões da Verdade no Brasil

Sessão 2 – Mediação: Ricardo Gaspar Müller

14h às 16h20:
Samuel Lima: Perfil do jornalista brasileiro
Aldo Schmitz: Autonomia profissional dos jornalistas
Sabina Estayno: flexMediaLives – Trajetórias de jornalistas na crise (Brasil e França)
Luísa Tavares: Tensões profissionais nos jornalistas de periferia
Raíssa Turci: Jornalismo, perspectivismo e agonismo

16h40 às 18h:
Jacques Mick: Observatório da Rede Brasil Afroempreendedor
Noa Cykman:Luta – Laboratório da Utopia

24 de abril

Sessão 3 – Mediação: Maria Soledad Etcheverry Orchard

8h às 9h50:
Jennifer Morel Hartmann: Transições e Resistências: Empregabilidade de Mulheres Trans e Travestis em Florianopolis.
Luísa Scirea: Disciplinamento do trabalho em shopping centers
Rafael Lara: Repercussões do trabalho ubíquo no cotidiano de professores universitários em Santa Catarina
Raphael Sansonetti Valverde: Carreira e a Contratação Temporária Horista na Rede Estadual de Ensino de Santa Catarina (2015-2017) – Valorização ou Desmonte do Trabalho do Magistério?

10h10 às 12h:
Iraldo Matias: Pejotização na economia criativa
José Carlos Mendonça: Pensamento político-social heterodoxo: o Gepensah
Luciana Raimundo: Finanças solidárias e a luta contra hegemônica
Arland Costa: MEI e trabalho precário

Sessão 4 – Mediação: Samuel Lima

14h às 15h50
Eduardo Bonaldi: A formação social da classe média brasileira
Christine Fortes
A identidade no trabalho: uma análise do trabalho terceirizado no serviço de limpeza e conservação da UFSC
Elaine Thais da Silva Lima: A reserva legal de cargos públicos no Brasil para pessoas com deficiência em universidades públicas federais, na perspectiva do trabalho decente
Maria Soledad Etcheverry Orchard: Mundo do trabalho no cinema: uma leitura sociológica

16h10 às 18h
Josnei DiCarlo: A intervenção do marxista Mário Pedrosa no debate político através da imprensa liberal (1946-1968)
Ricardo Müller: A atualidade da categoria exterminismo em E. P. Thompson
Sabrina Schultz: Terrorismo de Estado: a tortura como uma das formas de sua expressão
Rafael Gallo: A Promoção da Democracia no Norte da África e Oriente Médio pela União Europeia e pelos Estados Unidos da América

Atenção, estão abertas as inscrições para o minicurso: Ceticismo e Informação.

04/04/2018 22:45

O Lefis abre inscrições para o minicurso: “ceticismo e Informação”, ofertado gratuitamente aos/às interessados/as às leituras filosóficas descritas no cardápio, sobretudo aos/às pesquisadores/as, professores/as e alunos/as. Inscreva-se por meio do correio eletrônico: doutortodd@gmail.com, denotando seu interesse.

Confira aqui o cartaz oficial de divulgação; neste contem o cardápio de leituras.

O que: Ciclo de leituras filosóficas, científicas e literárias sobre o ceticismo e a informação.

Quem: Ministrante: Prof. Dr. Jose Claudio Matos

Quando: quintas-feiras, das 14h às 16h.

Onde: Sala do Lefis, Escola Simão José Hess